O mundo que a gente quer!


Todos nós, sejamos pais, familiares, professores, comunidade etc, precisamos pensar em nossas crianças, adolescentes e jovens como futuros homens e mulheres, capazes e aptos a se organizarem para atuar como protagonistas do projeto de construção de uma nova sociedade, corresponsavelmente, com outros seres humanos, conscientes de sua dignidade e da sua razão de ser e existir. Entendidos de seus direitos e deveres.

A educação para a cidadania e para a vida em uma sociedade democrática não pode se limitar apenas ao conhecimento das leis e regras, mas sim a formar pessoas que aprendam a participar da vida coletiva de forma consciente. 

Portanto, é necessário que o trabalho comunitário esteja voltado também para a construção de cidadãos e cidadãs autônomos, que buscam de maneira consciente e virtuosa, o bem-estar pessoal e coletivo. É bom lembrar que uma discussão não precisa necessariamente chegar a um consenso, já que a sociedade plural não é homogênea, mas se enriquece na diversidade. 

O ser humano apropriando-se do material do mundo social e cultural, ao mesmo tempo em que atua sobre o mundo e é ativo na sua construção se transforma e transforma o ambiente que o cerca. Por isso, precisamos trazer para a construção ou reconstrução comunitária as crianças, adolescentes e jovens, pois o futuro pertence à todos nós!

Todo trabalho com comunidade deve refletir o principio da ética. A ética verdadeira é quando os indivíduos cuidam de si, cuidam do outro, cuidam do grupo. Devemos projetar o mundo que a gente quer, e trabalhar todos os dias para alcançar este objetivo. 

Dra. Regiane Souza Neves - Doutora e Mestre em Saúde Mental - Psicopedagoga - Especialista em Ciências Políticas e Comunicação Social - Especialista em Educação e Direito Educacional.