Mais de 180.000 pessoas seguem este blog. Verifique nosso contador:

Seja um seguidor deste blog (preencha com seu e-mail)

Entenda o que é Neuropsicopedagogia e Neuropsicologia



Entenda o que é Neuropsicopedagogia

A Neuropsicopedagogia é uma ciência transdisciplinar que estuda a relação entre o funcionamento do sistema nervoso e a aprendizagem humana. Para isso, busca relacionar os estudos das neurociências com os conhecimentos da psicologia cognitiva e da pedagogia. Seu objetivo é promover a reintegração pessoal, social e educacional a partir da identificação, do diagnóstico, da reabilitação e da prevenção de dificuldades e distúrbios da aprendizagem.

O objetivo do curso é capacitar profissionais da área da Educação e Saúde para que compreendam e ampliem seus conhecimentos em torno da aprendizagem de diferentes sujeitos e contextos. Complementa a formação de psicopedagogos, psicólogos, pedagogos e demais profissionais ligados a educação. 

O especialista em Neuropsicopedagogia poderá atuar em diferentes contextos sociais, buscando compreender o processo cognitivo do sujeito desde os primeiros anos de vida, seus impasses e as implicações na aprendizagem. Pode desenvolver sua carreira na Neuropsicopedagogia Clínica, Institucional e Hospitalar. 

Caso escolha a Neuropsicopedagogia Institucional, o Neuropsicopedagogo pode atuar em Escolas, Faculdades, Universidades e ONGs. Já a Neuropsicopedagogia Clínica possibilita que o especialista trabalhe em postos de saúde, centros que oferecem diferentes atendimentos sociais e em consultórios e clínicas, com atendimentos individuais. A Neuropsicopedagogia Hospitalar oferece ao especialista oportunidades em brinquedotecas, ambulatórios e diferentes unidades de internação.

Entenda o que é Neuropsicologia

A Neuropsicologia é uma interface ou aplicação da psicologia e da neurologia, que estuda as relações entre o cérebro e o comportamento humano. Sua principal área de atuação é na compreensão de como lesões, malformações, alterações genéticas ou qualquer agravo que afete o sistema nervoso causam déficits (alterações) em diversas áreas do comportamento e da cognição humana. Em outras palavras, a Neuropsicologia atua mais frequentemente no estudo das funções mentais superiores, sem deixar de estudar áreas como sexualidade, emoção e agressividade, que tradicionalmente são investigadas por abordagens fisiológicas e biológicas (neurobiologia, neurofisiologia, psicofisiologia, psicobiologia). Desse modo a Neuropsicologia compõe fortemente o campo das neurociências, com ênfase na neurociência cognitiva. Atribui-se tanto ao psicólogo Donald Olding Hebb (1904-1985) como ao médico William Osler (1849-1919) a proposição do termo Neuropsicologia.

No Brasil, o título de Neuropsicólogo pode ser atribuído a psicólogos que tenham comprovada formação na área e no tema, a partir de verificações de testes (como prova) ou cursos de especialização, e àqueles profissionais de outras graduações (psicopedagogos, fisioterapeutas, fonoaudiólogos, terapeutas ocupacionais, pedagogos, biólogos, enfermeiros, entre outros) que possuam formação específica, como cursos reconhecidos de especialização em Neuropsicologia.

Através da resolução nº 013/2007, o CFP passou a reconhecer a especialidade em Neuropsicologia para psicólogos que preencham os requisitos necessários, devendo ficar claro que isso não significa que somente os psicólogos possam ser especialistas em Neuropsicologia. Outros profissionais de saúde mental podem se especializar na área e apresentar a competência para avaliar, acompanhar, tratar e realizar pesquisa da cognição, das emoções, da personalidade e do comportamento sob o enfoque da relação entre estes aspectos e o funcionamento cerebral, baseado em conhecimentos validados das neurociências e pela prática clínica. 

Embora a Neuropsicologia esteja intimamente relacionada à avaliação psicológica, que é especialidade da psicologia, não está restrita a ela. O neuropsicólogo necessita de conhecimentos fundamentais em neurologia, neurociência, biologia, psicologia clínica, avaliação psicológica e estatística para avaliar o paciente, psicofarmacologia, neuroembriologia, conhecimentos estes que podem ser construídos tanto pelo psicólogo como por outros profissionais, especialmente nivelados por uma especialização em Neuropsicologia ou outras formações reconhecidas. Ao final do processo de avaliação neuropsicológica, os resultados da avaliação são apresentados usualmente em forma de um laudo ou parecer ao paciente ou ao profissional que o encaminhou para avaliação. A partir destes resultados, pode-se estabelecer as necessidades do plano de tratamento do paciente.

Geralmente o neuropsicólogo trabalha de forma integrada com outros profissionais, como psicopedagogos ou neuropsicopedagogos, psicomotricistas, fisioterapeutas, fonoaudiólogos, terapeutas ocupacionais, médicos, neurocientistas clínicos ou outros, pois como as alterações do sistema nervoso possuem efeitos amplos, a abordagem singular usualmente não é suficiente para abordar os aspectos afetados por uma patologia cerebral.

Quais atendimentos o neuropsicopedagogo ou neuropsicólogo estão aptos a realizar?

Este profissional é capacitado para atender problemas cognitivos, emocionais e comportamentais que interferem na vida diária.

Autismo (TEA-TGD); Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH); Transtorno Opositivo Desafiador (TOD); Altas Habilidades e Superdotação; Dificuldades de Aprendizagem; Dislexia, Discalculia, Disgrafia, Disortografia; Problemas de Comportamento; Distúrbios Psicomotores.

Prof. Dra. Regiane Souza Neves - Atua há 26 anos na área da educação onde foi professora, coordenadora pedagógica e diretora, sendo que nesta última função permaneceu por 15 anos como diretora na educação básica e está há 7 anos como diretora do CEADEH Centro de Estudos Avançados em Desenvolvimento Educacional e Humano (escola de formação continuada para educadores). Também atua há 11 anos em clínica como neuropsicopedagoga, neuropsicologa, psicopedagoga, psicomotricista e psicanalista, onde realiza diagnósticos para transtornos do neurodesenvolvimento como TEA, TDAH, TOD entre outros. Há 20 anos atua em estudos e desenvolvimento de políticas públicas. Saiba mais AQUI.